top of page
Nova Logo 2024.png
Search

SEO - O que é? Para que serve? História e como funciona.

Updated: Feb 26, 2022

O que é SEO?


A sigla significa "Search Engine Optimization" em português (otimização para mecanismos de busca). Resumindo é um conjunto de técnicas de otimização para websites, blogs e páginas na web. Essas formas de otimizações visam alcançar bons resultados nos rankings orgânicos gerando tráfego e consequentemente autoridade para um site ou blog. Todas as estratégias de SEO criadas têm como único objetivo dar ao seu site uma maior visibilidade, aumentando assim as chances das pessoas conhecerem sua marca, seus produtos ou serviços.



Como funcionam os mecanismos de busca?


A idéia principal dos mecanismos de busca é disponibilizar ao usuário o resultado adequado para a busca realizada e assim optimizando a experiência do usuário, isso pode acontecer tanto no tempo de resposta como na na qualidade do conteúdo encontrado, sem contar quanto na exibição da informação em diferentes dispositivos.


Por isso, a atribuição do SEO a um site não pode ser feito de qualquer forma. A processo de otimização de uma webpage nos mecanismos de busca é um procedimento contínuo, necessita uma rotina constante de ajustes e atualizações para que seu conteúdo seja sempre considerado pelos buscadores como o melhor resultado daquela palavra-chave.


Por meio das técnicas de SEO, é possível otimizar a visualização de seu site para que ele possa ultrapassar a concorrência e apareça sempre na primeira página dos buscadores como o Google, chamando a atenção dos usuários para o seu conteúdo com o conteúdo mais relevante para as buscas.



SEO é o processo de otimização do seu site e conteúdo para que os motores de busca tenham preferência por suas páginas, colocando-as no topo dos resultados para as buscas de uma certa palavra-chave.

Ou seja: o processo de SEO envolve três agentes:

  1. Você, fazendo otimização de sites.

  2. Os mecanismos de busca, sendo o Google 90% das vezes.

  3. O usuário, fazendo a pesquisa.

Portanto, para fazer SEO temos que ter em mente estes públicos: o usuário e o Google. Fazer SEO pensando apenas no Google é um tiro no pé.

Isto porque o Google sempre vai optar pelos resultados que melhor respondam à necessidade do usuário. Sendo assim, pensar no usuário em primeiro lugar é essencial para um bom ranqueamento.


Fonte: Neil Patel


História do SEO


Em 1993 surgiu o Architext, ele foi considerado o primeiro buscador da internet (depois passou a ser o Excite). Depois de alcançar um sucesso em seu formato, novos sites surgiram como concorrente, Voce deve lembrar do Yahoo! (1994) o Cadê no Brasil e, finalmente, o Google (1997).


Fundado por Larry Page e Sergey Brin, o Google foi desenvolvido inicialmente para ser uma ferramenta de busca de larga escala e “organizar a internet”, usando uma estrutura de links para determinar a relevância das páginas de acordo com o termo da busca do usuário.



A ideia de utilização de links vindos de uma página é fruto de inspiração do meio acadêmico: A idéia é que um artigo ou pesquisa científica acadêmica recebe citações de revistas e artigos de outros autores, principalmente os de boa reputação, esses devem ser considerados como mais confiáveis. Daí vem a lógica do revolucionário Pagerank: uma métrica de 0 a 10, criada por Larry Page e calculada pela quantidade e qualidade de links recebidos.


Em dezembro de 1997 a revista PC Magazine escreveu que o Google “tem uma capacidade incomum de retornar resultados extremamente relevantes” e o classificou como o principal site de buscas no “Top 100 Web Sites”.


De acordo com este post do Search Engine Land, também foi em 1997 que o termo SEO foi mencionado pela primeira vez, no livro Net Results, escrito por Bob Heyman, Leland Harden e Rick Bruner. Segundo eles, o termo surgiu em uma discussão sobre o posicionamento do site da banda Jefferson Starship em sites de busca.


A otimização de sites para mecanismos de buscas é feita para alcançar o usuário entregando a resposta que ele procura com o formato ideal


Ao incluírem mais palavras-chave com o nome da banda no conteúdo do site, notaram que o site voltou para a primeira posição. Com isso, Bob e Leland chamaram essa técnica de Search Engine Optimization.


Até a popularização do Google, as ações de SEO se limitavam ao envio do site aos buscadores e otimizações on-page, como a inclusão (e repetição) de palavras-chave no conteúdo.


Já com a popularização do Google os profissionais de SEO começaram a olhar mais para a métrica de links, muito importante para o buscador.


Com isso surgiram as estratégias de link building, explorando tanto técnicas legítimas para obtenção de links quanto práticas mais obscuras, focadas somente em melhorar a avaliação do site, independentemente da qualidade.


Essas técnicas de manipulação do ranking ficaram conhecidas como Black Hat SEO.


Foi em 2000 também que a Google Toolbar foi lançada para o Internet Explorer, que apresentava o Pagerank dos sites, de 0 a 10. Isso tornou as técnicas de link building mais mensuráveis e populares.


No mesmo ano, os resultados orgânicos do Google receberam companhia: o Google AdWords foi lançado, incluindo resultados patrocinados, que permanecem nos resultados de pesquisa até hoje.


Resultados do Google

Após anos de otimizações de sites, geração de links e muita manipulação do ranking com técnicas Black Hat, em 2003 foi lançada a primeira grande atualização do seu algoritmo, chamada de Florida, que mudou o SEO para sempre.



Segundo um artigo escrito na época por Gord Hotchkiss, o Florida era um filtro aplicado nas pesquisas com base comercial, identificadas pelo uso de palavras-chave específicas. Ele limpava muitos dos sites que anteriormente preenchiam o ranking (em vários testes, a ferramenta removeu 50 a 98% dos sites listados anteriormente).


O alvo eram sites afiliados, com domínios que continham palavras-chave e com uma rede de links apontando para a página inicial do site.


Quando lançada, a atualização gerou revolta nos comerciantes, que tinham como os sites afiliados sua principal fonte de tráfego (e vendas).


Apesar do impacto da atualização, os resultados foram positivos, com sites de mais qualidade sendo lançados, varejistas investindo mais no próprio site e melhorando os resultados da pesquisa.


Essa foi apenas a primeira atualização do Google. Nos anos seguintes novas atualizações foram lançadas, sempre com objetivo de diminuir os resultados ilegítimos apresentados pelo buscador e melhorar a qualidade das buscas.


Desde então, em cada atualização lançada pelo Google, também são lançadas várias especulações sobre a morte do SEO. Porém, a otimização de sites para os mecanismos de buscas vai muito além de técnicas questionáveis que visam manipular os resultados exibidos pelo Google, que são penalizadas e extintas com as atualizações.


A otimização de sites para mecanismos de buscas é feita para alcançar o usuário entregando a resposta que ele procura com o formato ideal, oferecendo a melhor experiência possível no ambiente da marca e seguindo as diretrizes dos buscadores.


O buscador mais popular do planeta é o Google, e é sobre ele o próximo capítulo.


Fonte RD Station

43 views0 comments

Comentários


bottom of page